Bill Gates quer revolucionar nosso sistema bancário nos próximos 15 anos

A Fundação Bill e Melinda Gates se empenha desde 2000 para financiar projetos no mundo todo com potencial de fornecer soluções inovadoras aos grandes problemas do nosso tempo.Depois de 15 anos de ações filantrópicas, a instituição fez um balanço dos rumos que pretende tomar nos próximos 15. Em sua carta anual, Bill Gates apresentou a “grande aposta” para o período – que a vida das pessoas de países pobres vai melhorar mais do que a de qualquer outra população e mais rápido do que em qualquer outro período da história. E o bilionário acredita que para esse processo acontecer, os sistemas de pagamento móvel serão uma peça fundamental.
“O que estamos tentando criar é essencialmente um cartão de débito com seu celular onde você possa ter custos de transação para transferências digitais abaixo dos 2%”, disse em entrevista ao site Quartz. Além de representar uma alternativa economicamente mais viável se comparada ao sistema bancário tradicional, o chamado mobile banking também está sendo visto como a melhor ferramenta para alcançar quem ainda não possui contas em banco, especialmente aqueles que vivem em países pobres e com pouca infraestrutura. De acordo com dados do Banco Mundial, esta população soma 2,5 bilhões de pessoas sem acesso aos serviços financeiros.

 (Foto: BankSimple/flickr/creative commons)

Uma pesquisa realizada no Quênia pelo órgão Financial Inclusion Insights retrata muito bem o potencial desta tecnologia: enquanto 74% dos quenianos possuem um celular, apenas 27% são titulares de uma conta bancária. Recentemente o país africano virou case internacional com a implantação do sistema M-PESA em 2007, que já faz parte do cotidiano de grande parte da população.
Mas como os sistemas de pagamento móvel podem, efetivamente, melhorar a vida dos mais pobres? Como Bill Gates descreve na carta anual, a forma com que eles organizam suas finanças são extremamente ineficientes. As poupanças consistem em esconder dinheiro em casa ou então na compra de bens que perdem valor com o tempo; as transferências exigem um deslocamento real para entregar as notas físicas em mãos, e os empréstimos são obtidos por meio de agiotas que cobram juros altíssimos. Para Gates, ter acesso a diversos serviços financeiros de qualidade seria a chave para uma vida melhor, pois eles permitem lidar de forma mais efetiva com as crises e facilitam o investimento em áreas vitais como alimentação, saúde e educação.
Fonte: http://revistagalileu.globo.com/Sociedade/Economia/noticia/2015/01/bill-gates-quer-revolucionar-nosso-sistema-bancario-nos-proximos-15-anos.html