O que “Stranger things 3” fala sobre o mercado

Uma das estreias mais aguardadas do ano já está disponível no Netflix e diz algo sobre o mercado em geral, a terceira temporada de Stranger Things!!!

As crianças que investigam acontecimentos sobrenaturais na cidade fictícia de Hawkins, já não são mais exatamente crianças, os irmãos mais velhos começam a largar a adolescência, e o novo monstro dessa fase de suas vidas é o próprio amadurecimento delas. O crescimento é tão assustador quanto um demogorgon — monstro que assombra os moradores. Mas como Stranger Things pode influenciar no mercado Global?

Uma das Séries de maior sucesso do Netflix na atualidade, recebeu alto nível de audiência e aqueceu os corações de quem viveu nos anos 80, já que a produção traz inúmeras referências da época. O frenessi ao redor de Stranger Things – entre outros filmes e seriados da Netflix – mexe muito com o mercado em geral. A streaming abriu caminho para diversos tipos de serviços e produtos, bem como o sucesso da plataforma ser tão grande que sua relação com o mercado vai muito além da exibição na tela do computador, celular ou televisão. Ou seja, a Netflix foi a musa inspiradora de muita coisa que rola no mercado em geral.

Roupas, imagens, calçados e muito mais

Um exemplo atual disso é a criação da marca Levi’s de roupas para personagens de Stranger Things e o lançamento de tênis da Nike inspiradas na série.

E há muits outros exemplos, como: o clipe construído com o acervo de imagens da Shutterstock, remetendo às cenas da série , no estilo anos 80, da marca Bombril “arrumando” o sinal da Netflix com o seu principal produto.

A marca Havaianas não ficou de fora dessa, mostrando que “coisas estranhas” MESMO, acontecem no Brasil – e não na cidadezinha americana onde se passa a série.

Mas entre as marcas que aproveitaram bem a pegada da série, destaca-se ainda mais a Coca-Cola que retorna ao mercado trazendo seu fracasso da década dos anos 80, a New Coke.

No última dia 21, a Coca-Cola anunciou que irá vender novamente a New Coke, uma versão alternativa do clássico refrigerante, para promover a terceira temporada de Stranger Things. A oportunidade foi ainda maior quando reparou-se que a série se passa no verão de 1985, quando a empresa lançou a nova fórmula da bebida.

Para entender por que essa jogada de marketing é, no mínimo, curiosa, é preciso voltar um pouco no tempo. Naquela época, Coca-Cola e Pepsi disputavam como nunca a liderança do mercado. A batalha era ferrenha: em 1984, a empresa da lata azul tinha como garoto-propaganda ninguém menos que Michael Jackson. É bem provável, inclusive, que você já tenha visto este comercial:

A preferência dos consumidores por Coca-Cola, sempre à frente da rival, estava diminuindo. Essa queda, embora lenta, já vinha acontecendo nos últimos 15 anos. Pela primeira vez, a vitória da lata vermelha estava ameaçada. É aí que a New Coke entra. A ideia era reformular não só a embalagem, mas também a receita original da bebida, para vendê-la como uma novidade “revolucionária” no mercado. Só faltou combinar com os consumidores: quase ninguém curtiu a mudança, e a empresa recebeu uma série de reclamações. Em 79 dias, a Coca-Cola trouxe de volta a versão clássica.

A New Coke até voltou ao mercado por mais alguns anos com outro nome, Coke II, mas ela é considerada, até hoje, o maior fracasso da empresa (e uma das grandes bolas-fora de marketing do século 20). E olha que o páreo é duro: a Coca-Cola já lançou versões transparentes, com chá verde e até leite (!), que não deram certo nem em mercados mais exóticos, como Índia e Japão, conhecidos pelos seus sabores diferentões.

A volta dos que não foram

De acordo com a CNN, a empresa

 vai produzir uma quantidade modesta de latas de New Coke: 500 mil. À título de comparação, a Coca-Cola vende quase 2 bilhões de unidades por dia, entre latas e garrafas plásticas e de vidro (que, vamos combinar, é a melhor).

Para adquiri-las, só morando nos EUA. Elas serão vendidas em um combo especial de Stranger Things, em máquinas temáticas espalhadas em algumas cidades e no museu da empresa, em Atlanta.

A ideia desse retorno veio dos próprios criadores da série, os irmãos Matt e Ross Duffer. “Talvez há algum tempo não tivéssemos feito isso”, disse Stuart Kronauge, vice-presidente de marketing da Coca-Cola na América do Norte. “Mas estamos mudando e tentando inovar de maneiras além do tradicional”.

Além dela, outras empresas, como a Lego, trabalham em parceria com a Netflix para promover a nova temporada, que estreou no dia 4 de julho. Stranger Things, que faz uma ode aos produtos pop do passado, está movendo os produtos pop do presente.

Porém, vale destacar que em sua nova temporada, Stranger Things, pode ter abusado um pouco das famosas propagandas indiretas. A Netflix fez desta última temporada um showroon de marcas e em muitos momentos parou a história [ara fazer propagandas. Fazendo com que o telespectador fosse metralhados por merchans descarados. 

No primeiro ano da trama as promos eram delicadas e passavam delicadamente aos olhos dos fãns, como por exemplo: Quando a Eleven tinha uma obsessão por waffles congelados Eggo, da Kellogg`s. Contudo, fica evidente que a streaming  pegou forte e até pode ter se passado nas propagandas neste ano.  Agora, os merchans estão desconectados da trama e não são licenças narrativas como a empresa jura de pé juntos fazer, em uma liberdade supostamente dada aos criadores da atração, os irmãos Duffer.

E você o que está achando da nova temporada ? 

Referências:  noticiasdatv  / portalnegocioja

Conheça nossos Cursos: 
Pós-Graduação
Superior de 1 Ano
Extensão